Órbita de Amantes

2016

O que carrega um corpo – para além da pele, dos impulsos e dos rompantes?

 

Entre meandros e olhares, sinto teu peito ofegante.

O coração, colado ao meu, palpita na cadência do tango. Um só pulso.

 

O que há nesse vasto universo povoado de sentires?

 

Encontro de corpos-universo: tangência.

 

Pelo salão, vultos e efemeridades cintilam insistentes. Órbita de amantes.

 

Uma videodança que investiga a subjetividade intrínseca aos corpos de casais que dançam em salões de baile. Um mergulho musical, visual e dançante nessa seara poética. Orbito nesse imaginário inebriante de corpos, frenesi e sedução.

..............................................................................................................

What lies in a body – beyond skin, impulse and suddenness?

Under piercing gaze, I feel your fiery breath.

Heart-to-heart we pulse in time to tango. A sole pulse.

What might there be in this vast, in-depth universe?

An encounter of bodies-universe: tangency.

Round the ballroom, evanescent shadows shine vigorously. Lovers Orbit.

A video dance that approaches the intrinsic subjectiveness of couples’ bodies and movements while dancing in ballrooms. A visual, dancing and musical dive into the poetic imagery. I orbit round this inebriated imaginarium of bodies, frenzy and seduction.